Buscar
  • minasbioconsultoria

Aromaterapia: Os Benefícios Dos Óleos Essenciais

Os aromas exalados por diversas plantas muitas vezes nos proporcionam sensações agradáveis e reconfortantes quando os sentimos. Mas além disso, esses aromas ainda podem nos oferecer inúmeros benefícios para nossa saúde e bem estar, e é aí que entra a técnica natural conhecida como aromaterapia.


Fonte: Pixabay.

  • Histórico


Existem registros da medicina ayurveda datados de cerca de 2000 anos a.C, que relatam o uso de produtos naturais em tratamentos de saúde. No entanto, não se sabe ao certo quando o ser humano extraiu e destilou óleos essenciais pela primeira vez.


Já o termo aromaterapia foi utilizado pela primeira vez por René Maurice Gattefossé em seu livro “Aromatherapy”, de 1928. Além disso, a aromaterapia foi bastante impulsionada durante a Segunda Guerra Mundial, devido ao seu uso em tratamentos de infecções num período de falta de antibióticos nos hospitais de campanha, o que gerou uma série de estudos subsequentes a fim de comprovar a eficácia dos óleos essenciais.


De lá para cá, diversos estudos sobre as propriedades dos óleos essenciais foram realizados e os adeptos à aromaterapia vem crescendo cada vez mais. A prática é atualmente reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS), além de estar incluída na Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) e incorporada ao Sistema Único de Saúde (SUS) desde 2018.


Fonte: Unsplash.
  • Principais óleos utilizados e seus benefícios


De forma geral, a aromaterapia auxilia no alívio de sintomas de resfriado, asma, insônia, ansiedade, depressão e etc. Veja abaixo alguns dos principais óleos essenciais utilizados e quais benefícios à saúde e bem estar podem ser proporcionados pelas propriedades de cada um deles:


1. Alecrim: combate o cansaço mental, ajuda na memória e concentração e alivia dores em geral.


2. Bergamota (também conhecida como mexerica ou tangerina): alivia o estresse, sintomas depressão, ansiedade e age contra infecções cutâneas e má digestão.


3. Canela: indicado para alívio de cólicas menstruais, controle da irritabilidade, melhora da concentração e tratamento de tonturas e dores de cabeça.


4. Camomila: tem efeito relaxante e também é muito indicado para tratamento de inflamações urinárias.


5. Eucalipto: tem ação expectorante eficaz contra diversas doenças respiratórias, além de também ser indicado para tratar dores e tensões musculares.


6. Jasmim: age contra excesso de estresse, sintomas de depressão, distúrbios respiratórios e tensões musculares.


7. Lavanda: combate o estresse, a insônia, dores de cabeça e problemas respiratórios em geral.


8. Limão: melhora a concentração, fortalece o sistema imunológico, combate a falta de energia e auxilia na digestão.


9. Melaleuca: muito eficaz no tratamento de fungos nas unhas, acne e na desinfecção de feridas.


Fonte: Pixabay.

  • Como realizar a aromaterapia


Existem várias formas de utilizar os óleos essenciais, e na hora de escolher qual delas deve ser posta em prática é importante saber a finalidade desejada para cada caso. Uma das formas mais comuns de uso é através da inalação, que estimula a memória, o sistema endócrino e alivia sintomas de doenças respiratórias (sinusite, rinite, etc.). A inalação pode ser feita de forma direta, por meio de aparelhos difusores, utilizando compressas ou algodão para evaporação do óleo ou ainda por vaporização do óleo diluído em água quente.


Existem ainda formas alternativas de uso, como massagens, onde é importante que o óleo essencial escolhido seja não agressivo à pele e sempre esteja diluído em alguma base neutra, como óleos vegetais extra virgem de coco, amêndoas, linhaça, etc. Há ainda os banhos, nos quais pode-se adicionar algumas gotas do óleo essencial na água ou em algum sabonete líquido ou gel de banho sem adição de óleos minerais.


Fonte: Unsplash.

Mesmo se tratando de uma prática que utiliza produtos de origem natural, a aromaterapia deve ser realizada de forma adequada e cuidadosa. Por isso, é muito importante sempre procurar a orientação de um aromaterapeuta ou qualquer profissional especializado na área na hora de escolher o melhor óleo e forma de uso para cada caso em específico.


Gostou do texto? Conta pra gente aqui nos comentários, compartilhe e continue acompanhando o blog! Acompanhem também nosso Instagram (@minasbio)!



REFERÊNCIAS:



BRITO, Ana M Guedes. et al. Aromaterapia: da gênese a atualidade. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S1516-05722013000500021>. Acesso em: 29 de abril de 2022.


Ecycle. Descubra como usar óleos essenciais. Disponível em: <https://www.ecycle.com.br/oleos-essenciais-como-usar/>. Acesso em: 29 de abril


Ecycle. O que é aromaterapia e quais seus benefícios? Disponível em: <https://www.ecycle.com.br/aromaterapia/>. Acesso em: 29 de abril de 2022

Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. Portaria nº 702, de 21 de março de 2018. Brasília, 2018. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2018/prt0702_22_03_2018.html#:~:text=No%20Brasil%2C%20a%20aromaterapia%20%C3%A9,os%20resultados%20do%20tratamento%20adotado>. Acesso em: 29 de abril de 2022.


REIS, Manuel. Aromaterapia: para que serve e como usar óleos essenciais. 2022. Disponível em: <https://www.tuasaude.com/aromaterapia/>. Acesso em: 29 de abril de 2022.


REIS, Manuel. Óleo de melaleuca (tea tree): para que serve e como usar. 2022. Disponível em: <https://www.tuasaude.com/oleo-de-melaleuca/>. Acesso em: 29 de abril de 2022.


 

Sobre a autora: Thamara Eduarda Mineiro - Graduanda em Ciências Biológicas/Bacharelado na UFU, apaixonada por natureza, música e animes.


Contato: thamara.minasbio@gmail.com.


 

61 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo