top of page
Buscar
  • Foto do escritorminasbioconsultoria

Plantas Medicinais do Cerrado

O Cerrado faz parte dos principais biomas do Brasil, atingindo cerca de 25% do território nacional. Ele perpassa pelos estados de Goiás, Tocantins, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Minas Gerais, Distrito Federal, Bahia, Piauí, São Paulo e Paraná. Além disso, abriga uma biodiversidade enorme, tendo aproximadamente 6000 espécies de árvores e 800 espécies de aves. Ao lado da Mata Atlântica, é considerado um dos hotspots mundiais, ou seja, um dos biomas mais ricos e ameaçados do mundo (MMA, 2002).


Figura 1. Distribuição do Cerrado

Fonte: Brasil Escola

Segundo a International Conservation (IC), o Cerrado já figura na relação dos 17 ecossistemas mais degradados do planeta (hot spots), precisando urgentemente de medidas que compatibilizem o desenvolvimento com a manutenção da sua biodiversidade. Cerca de 80% do Cerrado já foi modificado pelo homem, e somente 19% delas correspondem a áreas-fragmento nas quais a vegetação original ainda se encontra em bom estado.


Figura 2. Área desmatada por estado (Considerando o novo limite do bioma Cerrado).

Fonte: Instituto Cerrados

Com toda essa biodiversidade o Cerrado possui muito potencial para diversas plantas, incluindo as plantas medicinais. No Brasil, o uso de ervas medicinais originou-se dos saberes indígenas, esse conhecimento foi adquirido e passado de geração para geração e posteriormente ensinado aos colonizadores.


A manipulação dessas plantas pode acontecer de diversas maneiras, por exemplo, cataplasma, chá por infusão, chá por cozimento, chá por maceração, inalação e xaropes. Deve ser levado em consideração que dependendo da espécie e do problema a ser tratado podem ser utilizados as folhas, raízes, flores e caule.

O uso dessas plantas faz parte da cultura popular de cada estado e região, sendo um saber singular. Sendo assim, aprendemos a importância de preservar cada vez mais o que a terra tem a nos oferecer, sendo possível encontrar inúmeros remédios na vegetação tortuosa do Cerrado.


O Brasil apresenta uma grande diversidade cultural, logo as plantas medicinais normalmente usadas em uma região de Cerrado podem ser totalmente diferentes da usada em outras.


  • Algumas espécies utilizadas na região nordeste são:

  1. Hancornia speciosa (Mangaba), suas raízes e folhas ajudam no tratamento de cólicas intensas, hipertensão e também alguns tipos de luxações;

  2. Eugenia dysenterica (Cagaita), a folha e a flor podem ajudar as pessoas que possuem problemas cardíacos;

  3. Bowdichia virgilioides (Sucupira), sua semente pode auxiliar em infecções diversas e amigdalites.

Mangaba

Fonte: Google Imagens

Cagaita

Fonte: Google Imagens

Sucupira

Fonte: Google Imagens
  • Algumas espécies utilizadas na região centro-oeste são:

  1. Hymenaea stigonocarpa Mart. ex Hayne (Jatobá), servindo como depurativo, anti inflamatório, estimulante de apetite e fortificante rico em ferro;

  2. Magonia pubescens A. St.-Hil.(Tingui), pode ser transformado em sabão auxiliando no tratamento de dermatites, seborréia, inseticida e mata piolho;

  3. Stryphnodendron adstringens (Mart.) Coville (Barbatimão), pode ser um poderoso antisséptico, adstringente e anti inflamatório.


Jatobá

Fonte: Google Imagens

Tingui

Fonte: Google Imagens

Barbatimão

Fonte: Google Imagens
  • Algumas espécies utilizadas na região sudeste são:

  1. Anacardium Humile (Cajuzinho-do-Cerrado), utilizado no tratamento de inflamações, tosse, gripe, diabetes e dores no geral;

  2. Passiflora edulis (Maracujá-do-Cerrado), recomendado no tratamento de pressão alta;

  3. Caryocar brasiliense (Pequi), auxilia no tratamento da gripe.

  4. Lychnophora ericoides Mart. (Arnica-do-Cerrado), utilizada para tratamento de contusões, aliviar inchaço e dores nas pernas, como repelente e anti-inflamatório.


Cajuzinho do Cerrado

Fonte: Google Imagens

Maracujá do Cerrado

Fonte: Google Imagens

Pequi

Fonte: Google Imagens

Arnica do Cerrado

Fonte: Google Imagens

Vale ressaltar, que atualmente muitos estudos bioquímicos estão sendo feitos a fim de confirmar a eficácia das propriedades medicinais dessas espécies. Sendo assim, antes do uso de qualquer recurso medicinal dessas espécies busque se informar!


O uso medicinal dessas espécies, auxilia também como argumento para proteção desse bioma constantemente ameaçado por ações antrópicas.


E aí, já tinha ouvido falar em alguma dessas espécies?




REFERÊNCIAS:











 


Sobre a autora: Milena Laura Soares, graduanda em Ciências Biológicas / Licenciatura - UFU, ama a botânica e a militância ambiental.

Contato: milenalaura.minasbio@gmail.com




 

3.058 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page