Buscar
  • minasbioconsultoria

O QUE É ILUSTRAÇÃO CIENTÍFICA?

A Ilustração Científica pode ser definida por “Imagem Útil”, ou seja, aquela que transmite uma mensagem, que cumpre um objetivo, que transmite conhecimento. A representação da ciência é uma imagem construída sempre com um objetivo, e não praticada de forma a exibir uma ideia espontânea.


É usada para descrever visualmente e detalhadamente componentes físicos, estruturas, características, representando o comportamento animal e suas interações e também para descrever e preservar o conhecimento acerca do reino vegetal – a conhecida Ilustração Botânica. Pode também ser utilizada na astrofísica, descrevendo fenômenos físicos e astronômicos, e até na biomedicina, produzindo estruturas anatômicas, moleculares e farmacológicas.


Paulo Presti, biólogo brasileiro vencedor da 7° Edição da Ilustraciencia.

Paulo Presti, biólogo brasileiro vencedor da 7° Edição da Ilustraciencia. Começou na Ilustração Científica em 2011, através de um mini-curso de 12 horas que fez durante sua graduação. Conheça Paulo.


COMO COMEÇOU A ILUSTRAÇÃO CIENTÍFICA?


Considera-se o início dessa História há cerca de 15000 a.C, dado uma representação de uma pintura rupestre localizada na Caverna de El Pindal, na Espanha, que ilustrava a posição do coração de um mamute dentro de um diagrama do corpo do animal (Hajar, 2011).


Mamute pintado de vermelho, na Caverna El Pindal (Espanha)















Imagem 1: Reproduzido de: Hajar R. Medical Illustration: Art in Medical Education. Heart Views : The Official Journal of the Gulf Heart Association. 2011;12(2):83-91. doi:10.4103/1995-705X.86023.

Imagem 2: Mamute pintado de vermelho, na Caverna El Pindal (Espanha), com o que parece ser um coração, pintado na mesma cor, no ombro esquerdo. Foto: Berenguer (1994)


Portugal, com certeza, foi um dos países que mais contribuiu para o impulsionamento dessa área, além de ajudar no impulsionamento da corrente de alfabetização visual, dado a necessidade de registrar patrimônios naturais, assim, os ilustradores-naturalistas tiveram um papel fundamental na construção da História da Ilustração Científica.


Nesse período, destacaram-se os navegantes que ilustravam, os “cartógrafos-náuticos”, que, nas primeiras explorações marítimas eram responsáveis por registrar a realidade geográfica e consolidação da imagem nas antigas e tão importantes cartas de navegação, que , eram feitas sem nenhum recurso às coordenadas geográficas, e eram construídos somente com base nas linhas loxodrómicas ( linha à superfície da Terra que faz um ângulo constante com todos os meridianos, é uma linha reta que, em superfície esférica, tende a espiralar-se em direção aos pólos).


Essas primeiras ilustrações eram tão importantes que passavam a fazer parte de verdadeiros segredos do Reino, e eram guardados a sete chaves, concretizando o ditado popular “o verdadeiro poder está no conhecimento”.


Fonte: Linum usitatissimum L. e Succisa pratensis Monch.

POR QUE ILUSTRAR?


A Ilustração Científica é capaz de mostrar uma realidade muito além daquela que conseguimos perceber através da fotografia, por exemplo: pode-se fotografar um indivíduo que pode ter algum tipo de anomalia, e, dessa forma, não servir como um modelo para a espécie em questão.


É utilizada como “veículo” visual a fim de transmitir o saber – alfabetização visual - , e esse tipo de representação necessita um estudo/pesquisa profundo para que siga as premissas científicas, ainda que ornamentada com visual estético, dessa forma, exige educação do Olhar e do modo de Ver (observar com cuidado, examinar cada detalhe), sendo, assim, possível tornar-se fiel a figuração, evitando ao máximo a subjetividade.

É importante falar do poder de impregnação e espécie de “imprinting” visual e cerebral (termo criado por Konrad Lorenz, que na psicologia se refere a estampagem de um comportamento não reversível, normalmente provocada por um estímulo), passando a construir uma memória efetiva e duradoura (CORREIA, 2011), transformando-a em uma excelente e poderosa ferramenta de aprendizagem.


A ilustração não contribui apenas para a construção do conhecimento cognitivo, como também para a perpetuação da ciência (e de sua história), assim como para a divulgação científica. Dessa forma, temos dois pilares importantes como fundamento: a COMUNICAÇÃO – transmitir uma parte do conhecimento científico, e a DIVULGAÇÃO – democratização da ciência.


A Ilustração Científica respeita três premissas basais:

● Reunir informações de forma objetiva, clara e precisa;

● Ser capaz, por si só, de transmitir a mensagem científica;

● Estimular a empatia sensorial para a apreciação da ilustração, facilitar a análise e promover a percepção/interpretação do conhecimento vindo da imagem.


v.1 (1885) Natural History of Victoria, Biodiversity Heritage Library

COMO É ILUSTRADA UMA ESPÉCIE?


Como falamos no começo do tópico “Porque ilustrar?”, na fotografia é possível que seja utilizado de forma modelo um indivíduo anômalo, não servindo exatamente para a finalidade a qual a ilustração se deve.


Ilustrar uma espécie não é necessariamente copiar características do indivíduo “ideal”, mas sim, reunir o máximo de características taxonômicas que tipifiquem e facilitem o reconhecimento da espécie. Dessa forma, podemos dizer que o desenho científico é como a criação de uma “criatura”, assim como o Frankenstein: incorporando inúmeras partes retiradas de indivíduos isolados e reunindo essas semelhanças anatômicas em um único corpo. Podemos dizer que é a materialização gráfica de um conjunto de características científicas.



( Fonte da Imagem: v.1 (1885) Natural History of Victoria, Biodiversity Heritage Library)


No entanto, é necessário estar apto a fazer uma interpretação fiel, objetivamente correta, sem fugir da realidade, seja a entidade orgânica (seres vivos e seus constituintes: células, moléculas, órgãos), ou inorgânica (minerais, rochas, fósseis.).


QUAIS MATERIAIS/TÉCNICAS UTILIZAR? COMO COMEÇAR?


mais de 90 técnicas e inúmeros materiais que podem ser utilizados, e por isso deve-se estudar qual a melhor opção para retratar o que quer mostrar na ilustração em específico. Alguns materiais permitem maior fineza de detalhes, enquanto outros, podem destacar mais as colorações.


Entre os materiais, podemos citar como mais utilizado o grafite (lápis), o nanquim e a aquarela. Abaixo, pode-se observar a diferença de detalhes presentes em cada método.



Imagem: Arte e Ciência: Uso de diferentes técnicas de Ilustração Científica.

Imagem: Arte e Ciência: Uso de diferentes técnicas de Ilustração Científica. SUGUITURU, S. S. ; MORINI, M. S. C.


Se você se interessa pelo ramo artístico da Biologia, pode se integrar na Ilustração Científica através de cursos e mini-cursos, capacitações, procurando profissionais especializados na área. Há diversas opções, principalmente online, que oferecem a especialização. Há ainda a possibilidade de seguir uma pós-graduação na área.


Gostou de saber um pouco sobre essa área tão importante, que mistura Arte e Ciência em um só conceito? Continue acompanhando nossas publicações para conhecer mais assuntos extremamente importantes e interessantes!!


Trachemys dorbigni — em Alcide Dessalines D’Orbigny / Domínio público



REFERÊNCIAS


Hajar R. Ilustração médica: Arte na educação médica. Heart Views [serial online] 2011 [citado em 15 de setembro de 2020]; 12: 83-91. Disponível em: http://www.heartviews.org/text.asp?2011/12/2/83/86023

DA COSTA, Carolina Frandsen Pereira. O que é ilustração científica?: Comunicando Ciência através de imagens – PARTE 1. Blog Unicamp, 18 dez. 2019. Disponível em: https://www.blogs.unicamp.br/coloraci/2019/12/18/comunicando-ciencia-parte-1/. Acesso em: 15 set. 2020.


CORREIA, Fernando. A ilustração científica: "santuário" onde a arte e a ciência comungam. VISUALIDADES, Goiânia, v. v.9, n. n. 2, p. 221-239, 15 jun. 2011. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/VISUAL/article/view/19864. Acesso em: 15 de set. 2020.


CORREIA, Fernando. Ilustração científica imagem sobre o natural. Parques e Vida Selvagem, [S. l.], ano 2011, p. 45-47. Disponível em: https://www.academia.edu/39829089/Ilustra%C3%A7%C3%A3o_cient%C3%ADfica_imagem_sobre_o_natural. Acesso em: 15 set. 2020.

SUGUITURU, S. S. ; MORINI, M. S. C. . Arte e ciência: uso de diferentes técnicas de ilustração científica. In: XV Congresso de Iniciação Científica da Universidade de Mogi das Cruzes. In: XV Congresso de Iniciação Científica da Universidade de Mogi das Cruzes, 2012, Mogi das Cruzes/SP. XV Congresso de Iniciação Científica da Universidade de Mogi das Cruzes, 2012.



Sobre a autora: Ana Beatriz Sabino Menezes, graduanda em Ciências Biológicas/Bacharelado-UFU, gosta de pintar e desenhar, apaixonada pelo ramo artístico e também pela natureza e animais, passa a maior parte do dia no jardim, cuidando das suas plantinhas e do seu pedacinho de ecossistema.

Contato: sabinoanab@gmail.com @ardevenus



78 visualizações1 comentário