Buscar
  • minasbioconsultoria

CONTROLE BIOLÓGICO - O QUE É E COMO FUNCIONA?


Com certeza você já ouviu alguém utilizando esse termo, porém sem conhecer a fundo o seu real significado.

Além do que muitos pensam, o Controle Biológico se trata de técnicas naturais utilizadas para fazer o controle de alguma praga específica, geralmente introduzindo um de seus inimigos naturais em seu habitat.

O uso do termo praga é usado para se referir a qualquer espécie que se reproduziu em larga escala e o grande número de indivíduos nesta população pode colocar em risco alguma atividade ou a própria saúde humana.


POR QUE FAZER O CONTROLE BIOLÓGICO?

Imagem de Claire Margaret por Pixabay


O Controle Biológico é necessário quando ocorre o desequilíbrio de algum ecossistema, e com isso a população de alguns indivíduos pode começar a aumentar exponencialmente.

Isso pode acontecer devido a uma população reduzida de seu predador natural ou por algum outro fator, como por exemplo as plantações, onde as espécies podem se desenvolver facilmente devido à grande quantidade de alimento disponível.


Com isso esses indivíduos podem prejudicar uma plantação inteira, ou quando se trata de pragas urbanas, muitas vezes podem colocar em risco a saúde humana, devido às doenças que são transmitidas pelas mesmas.


COMO É REALIZADO O CONTROLE BIOLÓGICO?


O Controle Biológico pode ser feito de diversas formas, mas sempre é necessário um estudo antecipado de cada espécie e local onde estão inseridas, para garantir que o controle funcione e que não prejudique o meio ambiente em outros aspectos. Dessa forma podemos citar algumas etapas a serem realizadas, como:


  • Estudo do local onde a espécie problema está inserida. Um profissional precisa ir até a área para fazer a identificação correta da espécie e analisar o ambiente em que ela se encontra;

  • Estudo de seus inimigos naturais. Esse estudo é de grande importância para saber qual seria a viabilidade da utilização de cada um desses inimigos, sempre avaliando o contexto em que ambas as espécies estão inseridas;

  • Criação de uma pequena população da espécie problema e de seus inimigos naturais para desenvolvimento de pesquisas básicas, importante para saber a eficiência do projeto;

  • Avaliação da viabilidade do controle biológico e a melhor forma de aplicação, levando em consideração o custo/benefício.


TIPOS DE CONTROLE BIOLÓGICO

Imagem de enriquelopezgarre por Pixabay


Os tipos de Controle Biológico incluem algumas alternativas que podem ser utilizadas a partir da avaliação do projeto.


Controle biológico natural: é realizado com base na atuação dos inimigos naturais da praga, que já se encontram inseridos no meio, então são realizadas ações para favorecer e conservar a população desses indivíduos.


Controle biológico clássico: é feito de forma a introduzir um inimigo natural de outro país em pequena escala, geralmente é realizado para fazer o controle de alguma praga exótica. Esse deve ser feito de forma pontual e em longos prazos.


Controle Biológico Artificial: Ocorre a produção e a liberação de uma grande população do inimigo natural no local onde a praga está inserida, geralmente tem um efeito mais rápido.


TIPOS DE PREDADORES NATURAIS

Imagem de Myriam Zilles por Pixabay


Predador chave: o predador chave é o mais efetivo, é aquele que mais se encaixa com a praga em questão, geralmente sua eficácia sobre ela é bem superior à dos outros.


Predador Índice: não é tão eficaz quanto o predador chave, pois ele pode ou não contribuir para o controle da população da praga, reforçando a importância dos estudos antecipados.


Parasitoide chave: é mais efetivo que outros parasitóides, é válido falar que basicamente todos os insetos possuem um parasitoide chave.


Entomopatógeno chave: é a doença que atinge a população da praga, podendo ser um vírus, uma bactéria ou um fungo.


CONTROLE POPULACIONAL


É comum utilizarmos o termo Controle Biológico para falar de pragas que atuam principalmente em lavouras, mas é válido lembrar que também existem as pragas urbanas, que muitas vezes não possuem um predador natural inserido no mesmo ambiente.


Quando falamos de pragas urbanas, nós temos como exemplos, os pombos, as baratas, as formigas, os escorpiões, etc, e vamos encontrar diversas metodologias e práticas aplicáveis para cada uma delas, porém essas ações não utilizam um predador natural para fazer esse controle, logo atribuímos essas práticas a um Controle Populacional.


Se usarmos as espécies de pombos que encontramos no ambiente urbano, que não são espécies nativas do Brasil para exemplificar, nós podemos citar alguns métodos que podem ser utilizados para fazer o controle de sua população, como por exemplo:

  • Estudo do local onde a espécie problema está inserida, um profissional precisa ir até a área para fazer a identificação correta da espécie e analisar o ambiente em que ela se encontra.

  • Utilizar medidas naturais, mas não invasivas para limitar a população de alguma forma, seja com a restrição dos recursos alimentícios, de nidificação ou abrigo, dessa forma podemos controlar a população de uma determinada área.

Imagem de Couleur por Pixabay


IMPORTÂNCIA DO CONTROLE BIOLÓGICO


Após tudo isso que foi abordado nesse texto e, já que agora sabemos que o uso desses inimigos naturais limita o número de pragas que prejudicam as plantações, eu gostaria de levantar um questionamento.


Você acha que o Controle Biológico seria a solução para cessar o uso de agrotóxicos nas plantações?

Imagem de Gerd Altmann por Pixabay


É bom lembrar que o Controle Biológico tem uma grande importância e impacto se levarmos em consideração a gigantesca quantidade de agrotóxicos que são utilizados em nosso país.


Ele é sim uma boa alternativa, porém não é uma solução para a realidade em que vivemos, o que realmente deveria ser feito é uma análise dos sistemas de produção, chegando assim à conclusão de que a resposta para esses problemas é o cultivo sustentável, onde há um controle dos meios de produção e o mesmo é feito de forma consciente.


QUEM REALIZA O CONTROLE BIOLÓGICO?


Existem diversos profissionais tanto da área da Biologia quanto da área da Agronomia que podem realizar esse tipo de serviço. A MinasBio desenvolve projetos voltados principalmente para o Controle Populacional de pragas, dentre vários outros integrados a Consultoria Ambiental.


Ficou interessado? Entre em contato com a gente! Vale a pena conhecer mais sobre esses serviços visitando outros textos do blog!



REFERÊNCIAS


GRAVENA, Santin. Controle Biologico no Manejo Integrado de Pragas. Artigo em periódico indexado (AI-SEDE) / Embrapa Informação Tecnológica (SCT), [s. l.], 27 ago. 2001.


PARRA, JOSÉ ROBERTO P. et al. CONTROLE BIOLÓGICO: UMA VISÃO INTER E MULTIDISCIPLINAR. CONTROBIOLOG, [s. l.], 21 maio 2002.


EMBRAPA. Embrapa. Controle Biológico. Portal Embrapa (Versão 3.91.0) p03. [S. l.]. Disponível em: https://www.embrapa.br/tema-controle-biologico/perguntas-e-respostas. Acesso em: 22 set. 2020.


NUNES, Vânia de Fátima Plaza. POMBOS URBANOS: O DESAFIO DE CONTROLE. Pombos urbanos: o desafio do controle, [s. l.], 2003.


MORANDI, Marcelo Augusto Boechat; BETTIOL, Wagner. Controle Biológico de Doenças de Plantas no Brasil. Biocontrole de doenças de plantas: uso e perspectivas, [s. l.], 2009.





Sobre a autora: Gabriella Louli Soares, Graduanda em Ciências Biológicas/Bacharelado - UFU. Gosta de estar em contato com a natureza e estar com seus amigos.

Contato: louligabriella@gmail.com



63 visualizações