Buscar
  • minasbioconsultoria

Acidificação Dos Oceanos: Como A Emissão Excessiva De CO2 Tem Provocado Esse Processo

Atualizado: 21 de nov.

  • O Que É E Como Ocorre

Os oceanos são fundamentais para a vida. O mais abundante constituinte da hidrosfera ocupa cerca de 70% da superfície da Terra e contém 97% de toda a água do planeta. Manter os oceanos saudáveis é indispensável para a manutenção da vida, haja vista que há uma significativa biodiversidade, influenciam as condições meteorológicas, produzem biomassa, oxigênio, são importantes nas pesquisas em fármacos, entre outros.


Além das condições supracitadas, os oceanos também são demasiadamente importantes na regulação do clima e no ciclo de gases atmosféricos, como o dióxido de carbono (CO2). Entretanto, ações antrópicas como o desmatamento e a queima de combustíveis fósseis, têm ocasionado graves mudanças entre o ciclo desses gases e a saúde oceânica, sendo um exemplo desse desequilíbrio ambiental o processo denominado de acidificação dos oceanos.


Fonte: Ibdmar.

Os oceanos absorvem até 30% do CO2 atmosférico. Um fator alarmante em relação a isso é que a emissão desse composto tem crescido cada vez mais e, consequentemente, a absorção de CO2 pelos oceanos também tem aumentado. Tal condição está alterando a química da água do mar, em que o pH está cada vez mais ácido. Esse processo ocorre da seguinte maneira:


- A hidrosfera (oceanos, rios, lagos, sobretudo os oceanos) absorvem parte do dióxido de carbono atmosférico (CO2);


- Esse CO2, ao reagir com a água, forma o ácido carbônico (H2CO3);


- O ácido carbônico é uma molécula muito instável, de modo que perde um hidrogênio e se transforma em bicarbonato (HCO3-);


- O bicarbonato também é instável e perde um hidrogênio, que se transforma em carbonato (CO3²-).


Perceba-se que, até a formação desse novo composto, perderam-se dois íons de hidrogênio.


À vista dos fatos citados acima, nota-se que, quanto maior a concentração de CO2, com mais frequência a reação mostrada acontecerá e, consequentemente, maior será a quantidade de hidrogênio livre na água. Esse excedente de hidrogênio no meio é o responsável pelo processo de acidificação dos oceanos.


Fonte: Econserv.

  • Impactos Na Biodiversidade


Essa reação química, caso ocorra de maneira natural, é importante para a vida marinha, tendo em vista que os íons carbonato reagem com o cálcio livre na água e forma o carbonato de cálcio.


O carbonato de cálcio (CaCO3) é utilizado para a formação dos esqueletos dos corais, das conchas dos moluscos e para o exoesqueleto dos crustáceos. Entretanto, com o excesso de hidrogênio no meio, essa associação entre o carbonato e o cálcio passa a ser reduzida, haja vista que o carbonato tem preferência em ligar-se com o hidrogênio. Dessa maneira, as espécies calcificadoras ficam sem a matéria-prima necessária para a construção das suas estruturas, o carbonato de cálcio.


Os animais conseguem fazer suas estruturas mesmo com a falta de carbonato de cálcio, mas ficam enfraquecidas. Além da baixa eficiência em relação às estruturas construídas (conchas, esqueleto e exoesqueleto) desses animais calcificadores, a acidez da água as dissolvem.


Fonte: greenME Brasil.

As espécies calcificadoras não são as únicas prejudicadas com a acidez dos oceanos. Esse processo gera nos peixes a acidose, que é a redução do pH corporal. Outro agravante é a ocorrência da hipercapnia, a qual é o aumento de CO2 no plasma. Ambos processos são muito danosos para os peixes, pois enfraquece o sistema imunológico, fator que deixa essas espécies suscetíveis a ação de parasitas e, consequentemente, com risco de extinção.

Assim sendo, a constante diminuição do pH das águas oceânicas, acarretam danos à fisiologia, crescimento, demografia, abundância, alimentação, tempo de vida e distribuição de muitas espécies marinhas.


  • Medidas De Mitigação De Danos


Uma das alternativas propostas para a redução dos impactos causados pela acidificação dos oceanos é a adição de substâncias alcalinas nas águas dos oceanos para equilibrar o pH. Todavia, de acordo com o professor Jean-Pierre Gattuso, da Agência Nacional de Pesquisas da França, essa ação poderia ser eficaz apenas em baías com troca limitada de água com mar aberto, ou seja, seria apenas um alívio local, mas não se aplica em escala global.


Para ser verdadeiramente efetivo, o centro das discussões deve ser a adoção de medidas que reduzam a emissão de carbono. Urgem ações mais incisivas, sobretudo por parte das autoridades, como leis sobre níveis de emissão e fiscalizações mais rigorosas, além de promover programas de educação ambiental, tanto nas escolas quanto nas mídias.


Para além das autoridades, cada indivíduo também deve fazer sua parte. Diminuir a pegada de carbono é essencial, de modo que pode ser realizada com ações como: priorizar a energia limpa, repensar os meios de transporte, reduzir o consumo de carne, separar corretamente os resíduos sólidos, fazer compostagem doméstica, entre outros.


Gostou do texto? Conta pra gente aqui nos comentários, compartilhe e continue acompanhando o blog! Acompanhem também nosso Instagram (@minasbio)!




REFERÊNCIAS:



MONTEIRO, Bárbara. Acidificação oceânica: impactos e mecanismos de mudança. Instituto CEUB de pesquisa e desenvolvimento. Disponível em: <https://repositorio.uniceub.br/jspui/bitstream/prefix/16059/1/B%c3%a1rbara%20Segato%20Monteiro.pdf>. Acesso em: 29 de outubro de 2022


GOMES, Bárbara. Efeitos do aquecimento e acidificação dos oceanos em esponjas calcareas (Porifera). Programa de Pós-graduação em biodiversidade e biologia evolutiva. Disponível em: < https://www.ppgbbe.intranet.biologia.ufrj.br/wp-content/uploads/2019/10/DISSERTA%C3%87%C3%83O_B%C3%81RBARA.pdf>. Acesso em: 29 de outubro de 2022.


BARBOSA, Clara. Como a acidificação dos oceanos impacta as nossas vidas?. Instituto brasileiro de direito do mar. Disponível em: <http://www.ibdmar.org/2020/09/como-a-acidificacao-dos-oceanos-impacta-as-nossas-vidas/>. Acesso em: 29 de outubro de 2022.


GRUPOECOSERV. A acidificação dos oceanos: como desvendá-la?. Blog ECOSERV. 2016. Disponível em: < https://econserv.wordpress.com/2016/08/18/a-acidificacao-dos-oceanos-como-desvenda-la/>. Acesso em: 29 de outubro de 2022.


PBMC. Acidificação dos oceanos: um grave problema para a vida no planeta. Painel brasileiro de mudanças climáticas. Disponível em: <http://pbmc.coppe.ufrj.br/index.php/en/news/476-acidificacao-dos-oceanos-um-grave-problema-para-a-vida-no-planeta.>. Acesso em 29 de outubro de 2022.


 

Sobre a autora: Larissa Carla de Almeida Freitas- graduanda em Ciências Biológicas/Licenciatura- UFU. Gosta de ensinar, é apaixonada pela natureza e por hábitos sustentáveis.


Contato: larissacarla.minasbio@gmail.com


 



35 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo