Buscar
  • minasbioconsultoria

Como vemos a botânica?

Atualizado: Set 12

Se você passou pelo ensino fundamental e pelo ensino médio, é possível que saiba o que é botânica. Mas, o quanto da botânica ensinada você realmente aprendeu?



Consegue perceber as plantas que lhe cercam e que se fazem presentes nas imagens, nos vídeos, à mesa na hora do almoço e na sobremesa, nos adoçantes e medicamentos, ou mesmo na bebida do final de semana? Se não, eu sinto dizer, provavelmente você sofre de cegueira botânica.


“Oi?? Como assim? Eu enxergo perfeitamente as plantas” Claro, desde que só existam elas no ambiente. Explico melhor: cegueira botânica, de acordo com Wandersee e Schussler (2002), consiste na incapacidade de reconhecer as plantas no ambiente e no nosso dia-a-dia – como quando você come aquele arroz com feijão maravilhoso sem nem se dar conta de que são plantas ou se esquece de que os tecidos, algumas tintas, a mobília da casa, vieram de plantas –, na dificuldade em perceber características únicas das plantas e em pensar que elas são inferiores aos animais, quando na verdade, eles só existem por causa delas.



E por que a cegueira botânica acontece?

Bem, porque o ensino, não só de botânica, nas escolas é bastante defasado e carece de recursos para trabalhar uma boa aula prática com os alunos e os professores estão cada vez mais desmotivados com suas dificuldades profissionais, é compreensível que não se sintam estimulados o suficiente para encantar os alunos com a botânica. Mas não é só isso!!


Existem várias explicações para a cegueira botânica, uma delas é neurofisiológica e foi dada pelos autores citados anteriormente, Wandersee e Schussler. Eles afirmam que o cérebro humano não assimila de uma vez tudo aquilo que vê. Somente 0,00016% dos dados produzidos nos olhos é processado.


Assim, involuntariamente, são priorizados aspectos como movimento, cores vivas, possíveis perigos ou coisas/pessoas conhecidas. Com isso em mente, podemos analisar um pouco melhor: plantas não se movimentam de um lugar para outro, e não vão nos atacar, e se não estiverem floridas ou em frutificação, não são lá muito coloridas.


Agora que você sabe o que é cegueira botânica e porque ela existe, as coisas fazem mais sentido, não? Então te convido à desconstruir essa ideia descabida de que plantas não são interessantes ou importantes com algumas informações que toda pessoa que seja pelo menos um pouco curiosa, se interessaria em saber:


- Existem várias lendas indígenas sobre a origem das plantas, como o guaraná, a mandioca, a vitória-régia, o milho, e muitas outras.


Imagem: Enterro de Mani (lenda da mandioca)

- A humanidade não chegaria até aqui se não tivesse desenvolvido tão bem sua agricultura. As plantas tiveram papel fundamental na nossa civilização e têm histórias pelo mundo. As tulipas, que lembram a Holanda, mas que tiveram origem na China. O Pau-Brasil, que é famoso na história brasileira antes mesmo de os portugueses chegarem nas nossas terras. O café e o eucalipto que se destacam por sua importância econômica, e muitos outros.

Foto: árvore pau-brasil

- Se a área da saúde te interessa, pesquise sobre as plantas medicinais e as histórias por trás da descoberta dos medicamentos.



- Se gosta de artes, a ilustração botânica é um bom caminho.



Viu? A botânica é bem mais bonita do que se diz e essencial para a ciência e para o bem-estar do nosso planeta. O ensino de botânica, com qualidade, contribui para a tomada de consciência dos cidadãos sobre os cuidados com a natureza e a importância disso para a qualidade de vida das pessoas hoje e das gerações seguintes. Além de incentivar a formação de mais botânicos nas universidades, enriquecendo a pesquisa brasileira. Por isso é tão importante que esse conteúdo seja abordado com o carinho e a dedicação que todos os outros são. É uma chance a mais da Terra ir se curando.







REFERÊNCIAS

SALATINO, A.; BUCKERIDGE, M. "Mas de que te serve saber botânica?". Estud. av., São Paulo , v. 30, n. 87, p. 177-196, Aug. 2016 . Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142016000200177&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 15/05/2020.

NEVES, A.; BUNDCHEN, M.; LISBOA, C. P.. Cegueira botânica: é possível superá-la a partir da Educação?. Ciênc. educ. (Bauru), Bauru , v. 25, n. 3, p. 745-762, Sept. 2019. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S151673132019000300745&lng=en&nrm=iso.> Acesso em: 15/05/2020. Epub Oct 07, 2019. http://dx.doi.org/10.1590/1516-731320190030009.

FERNANDES, M. A Lenda da Mandioca. Disponível em: <https://www.todamateria.com.br/lenda-da-mandioca/> Acesso em: 29/05/20.




Sobre a autora: Lorena Nunes, graduanda em Ciências Biológicas/Licenciatura-UFU é apaixonada por botânica.

Contato: lorena.nqueiroz@outlook.com @lorenanunes.q




46 visualizações3 comentários